RNPF x TUSS x ROL – Entenda a diferença

Referencial xTuss x RolÉ muito comum em discussões entre as associações de prestadores de serviço o uso dos termos acima descritos. Infelizmente esse assunto, muitas vezes, não chega ao mercado ou, mesmo ainda, nos bancos de faculdade. Tentaremos, nesse post, descrevê-los e compará-los.

O RNHF é um documento criado pelo COFFITO mediante estudo da FGV para estabelecer os padrões mínimos de remuneração dos prestadores de serviços em Fisioterapia, sejam esses pessoas físicas(profissional liberal) ou pessoa jurídica(empresas, cooperativas etc). Nesse documento é decrito não apenas os valores, mas uma terminologia que foi desenvolvida com base na CIF(Classificação Internacional de Funcionalidade). Esse é dividido em capítulos e esses em níveis de complexidade.Esse

documento deve servir como PARAMETRO NAS NEGOCIAÇÕES COM AS OPERADORAS ou então como referencia mínima na cobrança de procedimentos fisioterapêuticos.

A TUSS ou Terminologia Unificada da Saúde Suplementar é uma tabela que foi criada pela ANS (Agência Nacional de Saúde) e tem como objetivo padronizar a nomenclatura utilizada pelas diferentes OPS (Operadoras de Planos de Saúde). Até certo tempo a FISIOTERAPIA NÃO TINHA NOMENCLATURA PRÓPRIA, HOJE NÓS TEMOS, estamos descritos nessa relação de procedimentos. Essa relação muda constantemente de acordo com A PRESSÃO E RESPALDO QUE CADA PROFISSÃO POSSUI. AINDA NÃO CONSEGUIMOS COLOCAR NA TUSS OS “NÍVEIS DE COMPLEXIDADE” descritos em nosso RNPF.

O ROL DE PROCEDIMENTOS define uma lista de consultas, exames e tratamentos que os planos de saúde são obrigados a oferecer, conforme cada tipo de plano de saúde – ambulatorial, hospitalar com ou sem obstetrícia, referência ou odontológico. Essa lista é válida para os planos contratados a partir de 02 de janeiro de 1999, os chamados planos novos. É válida também para os planos contratados antes dessa data, mas somente para aqueles que foram adaptados à Lei dos Planos de Saúde. É O MÍNIMO QUE AS OPERADORAS DEVEM OFERECER AOS USUÁRIOS.

Em 2014 foi introduzida a CONSULTA FISIOTERAPÊUTICA no ROL DE PROCEDIMENTOS.

 

Luis Henrique Cintra

Consultor em Negócios de Saúde

Clínicas de fisioterapia são alvos de ação – Dourados News – Notícias de dourados e região.

Eduarda Rosa

O Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) de Dourados está fiscalizando as clínicas de fisioterapia no município, como objetivo de diminuir a prática de vários atendimentos ao mesmo tempo, o que prejudica, segundo o órgão, a qualidade ao usuário e colabora para a precarização da profissão.

O diretor do Procon, Rosemar de Mattos, disse que as fiscalizações começaram nesta semana, porém, ainda não tem maiores detalhes sobre a ação. “Ainda é cedo para dizer como está o panorama em Dourados”, disse.

O Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional de MS (Crefito) denunciou ao Ministério Público Estadual (MPE) sobre a precarização do atendimento em Fisioterapia ligado as operadoras de planos de saúde.

De acordo com divulgação do Crefito, a medida é inédita no país e deve servir de referência para outros municípios e Conselhos Regionais de Fisioterapia em todo o Brasil, que vivem a mesma situação diante das práticas adotadas pelas clínicas e pelas operadoras de planos de saúde.

Segundo o presidente do Conselho, Carlos Alberto Eloy Tavares, hoje, há procedimentos de Fisioterapia e Terapia Ocupacional sendo custeados por R$ 5 a 10. Há casos de fisioterapeutas que recebem R$ 1 por uma sessão que deveria durar 50 minutos. Esta remuneração ínfima precariza o atendimento.

“O empresário, para pagar suas contas, faz volume. Ele não pode atender um paciente por 50 minutos ganhando R$ 2. Então, atende 10 pacientes em 50 minutos para garantir uma receita no final do mês. No entanto não oferece saúde de qualidade. Nossa preocupação é garantir a qualidade do atendimento mediante o cumprimento da legislação”, afirma o presidente.

Para o Conselho, uma adequação emergencial desta situação passa, necessariamente, por uma revisão dos contratos com os planos de saúde com base no referencial de honorários das profissões.

Fonte: Clínicas de fisioterapia são alvos de ação – Dourados News – Notícias de dourados e região..

Consultoria – Quanto devo cobrar por meus serviços?

quanto cobrar

Essa, talvez seja uma das perguntas mais comuns, e importantes, do Fisioterapeuta na hora de montar o seu negócio. O valor cobrado será, sem dúvida, um dos motivos do sucesso de seu empreendimento, por isso vou colocar alguns itens que poderão lhe orientar na definição de seu preço. Atenção para não cair na tentação de basear-se  somente na concorrência, isso será o último item. Responda:

1)      Qual público pretendo atingir?

2)      Quanto foi o investimento que fiz na estrutura que tenho?

3)      Em quanto tempo pretendo recuperar o meu investimento?

4)      Quanto será meu custo variável

  1. Quanto pagarei de imposto por cada atendimento?

5)      Quanto será meu Custo Fixo(tudo aquilo que você pagará independente do volume do seu atendimento ou então com pouca influência)

  1. Aluguel
  2. Água
  3. Luz
  4. Telefone
  5. Funcionários
  6. Contador
  7. Sistemas de informática
  8. Marketing
  9. Qual será meu pro-labore

6)      Quantas horas ficarei disponível para atender aqueles que o procurarem

7)      Quanto de lucro pretendo obter em cima de cada atendimento

8)      Qual o valor da concorrência?

Após conhecer todos os seus custos e quantas horas pretende ficar disponível você terá uma idéia de quanto custa cada hora de seu serviço

 Luis Henrique Cintra

Fisioterapeuta Consultor

Consulta Fisioterapêutica, mais uma conquista.

consulta fisioterapia

O caminho da autonomia dentro da Fisioterapia vem sendo percorrido desde os primórdios de nossa profissão. O Fisioterapeuta, profissional de nível superior, respaldo pelo  DECRETO LEI N. 938, DE 13 DE OUTUBRO DE 1969 vem evoluindo anualmente no âmbito científico, cultural, político e empresarial conseguindo, assim, obter o espaço que lhe é permitido.

Desde o início de 2014 que uma das conquistas mais importantes dos últimos anos foi garantida pelo COFFITO, representado na figura de Dra.Marlene Izidro, Iaponira Pimental e Francimar Ferrari,  junto às OPS(Operadoras de Plano de Saúde). Essa conquista foi a CONSULTA FISIOTERAPÊUTICA, agora pertencendo ao ROL DE PROCEDIMENTOS DA ANS, ou seja, agora, obrigatória. Em nosso referencial de honorários(RNPF), essa aparece com o código “13106902″, na TUSS “50000144”. Os valores desse procedimento estão descritos em nossa tabela, contudo, a aplicação dos mesmos somente acontecerão com a união de nossa classe frente a negociações com as operadoras.

A FENAFISIO, entidade que representa as Associações de Prestadores de Serviços de Fisioterapia de todo o  Brasil, tem reunido-se sistematicamente na busca de compartilhar informações que proporcione aos Serviços de Fisioterapia uma justa remuneração.

Maiores informações no site:  www.fenafisio.com.br