Fisioterapeuta é explorado ou não conhece o seu valor?

Imagem

É muito comum escutarmos em rodas de amigos Fisioterapeutas que existe uma prostituição da profissão. Comentários e justificativas tão antigos quanto a própria atividade mencionada.

Eu queria perguntar aos meus amigos, quanto vale o seu serviço? Quanto é suficiente para que você não se sinta explorado? Quanto é justo ficar para o  empregador? Você teria aquele cliente(s) fora daquele local onde está trabalhando?

Como você calcula o preço de meus serviços? Será que você aprendeu  isso na faculdade, ou ficou sonhando em cobrar o que colegas que já estão no mercado, há anos, cobram só para não se sentir “por baixo”?

Muitos colegas caem na ilusão de adotar um certo “método de tratamento” porque “esse paga bem” e ai enxergam, depois de alguns investimentos, que não era tão simples cobrar o que imaginavam.

Meus amigos, primeiro temos entender, que há uma diferença entre preço e valor. Embora, numa primeira análise, possam ser semelhantes, esses não o são. È bem simples, imagine o preço de uma garrafa de água mineral, agora, qual o valor, dessa , bem gelada, no meio do deserto?

Voltando para a nossa realidade imagine o valor do atendimento que você pode obter com um ambiente climatizado, recepção ágil, higienização impecável, comunicação eficaz e alta resolutividade em seu atendimento.

O cálculo do preço requer o conhecimento de 4 situações(Custos Fixos, Custos Variáveis, Custos de Marketing e Lucro desejado) Quanto mais próximos estiverem, o preço e o valor de seu serviço, mais você se realizará. Mas lembre-se o preço quem dá é você, mas, o valor que lhe concede, é o cliente.

Luis Henrique Cintra

Fisioterapeuta Consultor