Força de viver

Força para viver

É fácil andar no escuro. Sonhamos o conto de fadas que desejamos e nos afundamos nas vontades que esfriam o nosso coração.

Para ver a luz, é preciso mais que vontade, pois, o brilho aumenta a medida que nos tornamos mais humildes. E ai nos resta o espelho, aquele que, imparcialmente, julga sem palavras, mas expressando a justiça, que chamamos divina. Essa, é aritmética, sem rodeios, palavras difíceis ou floreios, a justa imagem que construímos para o mundo.

Eu pergunto: – É pra sentir vergonha? – É pra ter medo? -É pra fechar os olhos e voltar para as trevas de nossas vontades(vaidades)? É para fugir para os vícios que nos distanciaram de nossa família, de nossos amigos, da harmonia e paz que tanto desejamos? – Não, meus amigos, não. Cada lágrima que caí é uma gota de veneno que deixa vosso corpo, purificando-o cada vez mais, porque você conseguimos, juntos, mais um dia.

A luta é solitária, não existem atores ou platéias dentro da perseverança. Que nossa vontade seja como a nossa pele e não uma camiseta que é trocada de acordo com os momentos difíceis. Continuemos sim, vivendo e amando cada segundo da sua vida, pois todos teremos o mesmo fim.

 

Luis Henrique Cintra

O empreendedor bíblico – Feliz Páscoa

jesus

Há várias características para os empreendedores. Entre todas, podemos selecionar três que são inquestionáveis: 1) São apaixonados pelo o que fazem, o que os tornam incansáveis no trabalho, 2) Assumem riscos calculados e 3) Os frutos de seu trabalho são mais importantes que qualquer dinheiro ganho, às vezes, até mais que ele mesmo. Tais definições são bem observadas num homem que surgiu no Oriente Médio há mais de dois mil anos.

O ambiente não era muito propício a divulgação de certas idéias. A Opressão romana castigava as tribos de seu império, impedindo, assim, qualquer forma de autonomia, ou mesmo, de melhoria nas condições de vida daquelas pessoas.

Um homem, batizado por um sábio, amadurecido pelo conhecimento e forjado na sua coragem começou a levar a “palavra” para aqueles sofredores que não tinham outra opção, a não ser, servir aos “césares”.

Perseguido por alguns de seus pares, ele não desistiu, formou uma equipe de seguidores e começou a proferir suas ações entre os mais necessitados. Alguns eram curados de doenças, outros protegidos de injustiças e outros, até,  ressuscitados. Mas, o objetivo principal era levar esperança à grande maioria.

Por não ser bem entendido por algumas pessoas importantes, foi denunciado como criminoso, falso profeta, perturbador da ordem pública. Chegou a ser tentado pela solidão, fome e vaidade por quarenta dias, resistiu, continuou sua missão.  Depois, ainda prevendo um futuro nebuloso em relação à sua vida, confraternizou com seus seguidores. Um deles o denunciou,  outro o negou 3 vezes, outro tinham que ver para poder provar sua fé. Cada um dos membros da sua equipe, por um motivo qualquer, se esvaiu ou questionou a veracidade de seus ensinamentos.

Foi julgado e condenado, e mesmo crucificado ainda pediu perdão para aqueles que não entenderam seus propósitos.

Até hoje, seus ensinamentos são seguidos por mais de um bilhão de pessoas no mundo.

 

FELIZ  PÁSCOA

 

Luis Henrique Cintra

Fisioterapeuta Consultor de Negócios

O esporte e a formação do cidadão

FONTE: Prof.Rubens Gabriel Pereira Diretor Canali System Brasil Personal Trainer Body Tech – Koatch – Renaissance Fitness Árbitro de Ginástica Artística Masculina Ex-Técnico de Ginástica Artística Comentarista Esportivo - Rede Bandeirantes de televisão

Prof.Rubens Pereira

Conhecer o esporte é um direito garantido por lei ao cidadão brasileiro. Mas o esporte enquanto manifestação competitiva, onde os melhores ganham e os piores são eliminados, não deve ser considerado como melhor ferramenta para a formação do indivíduo como cidadão.

Para isso a constituição de 1988 apoiada pela “lei Pelé” de 1998 direcionam o investimento público para a formação do cidadão usando o esporte como ferramenta de apoio. Podemos chamar esta ferramenta de esporte educacional.

Vamos falar de algumas diferenças entre o esporte de alto rendimento e o esporte educacional.

No alto rendimento vemos um objetivo principal muito claro, a vitória. Deste modo, o atleta será formado para ser o melhor, o mais forte, o mais veloz.

No esporte educacional o objetivo é a formação do cidadão. Aprender, através do esporte, a respeitar o próximo e entender que todos tem os mesmos direitos e deveres.

Mas como dois objetivos tão diferentes podem ser alcançados com a mesma ferramenta?

Regras

No alto rendimento as regras são estabelecidas pelas federação que organiza a modalidade, visando estabelecer como vencedor o atleta que melhor se adaptar a elas.

No esporte educacional as regras são adaptadas para os alunos poderem participar juntos, não importando suas características físicas. Em um jogo de basquete por exemplo, podem jogar juntos crianças altas e baixas, mais velhas e mais novas, meninos e meninas, etc.

Inclusão

No esporte alto rendimento a idéia de ser o melhor e alcançar a vitória baseada nas regras da competição exclui a maioria das pessoas. Quem continua no jogo é sempre o mais forte, veloz ou resistente.

No esporte educacional o componente lúdico se transpõe ao competitivo permitindo assim que todos participem e tenham a possibilidade de conhecer e superar seus próprios limites.

Interesses

O esporte de alto rendimento está submetido aos interesses das empresas que patrocinam a modalidade. O dinheiro fala mais alto e faz com que a idéia da vitória seja a mais importante.

No esporte educacional o interesse do aluno em participar do jogo e interagir com os outros é mais importante do que a vitória. O dinheiro, quando existe, tem origem governamental ou privada no sentido de incentivar a prática e não da propaganda.

O fato comum desses pontos é que o esporte de alto rendimento é hoje um grande negócio mundial baseado na competição e financiado por grandes empresas que usam o sucesso do esporte na mídia para fazer propaganda de seus produtos.

Já o esporte educacional tem como objetivo maior a inclusão social e a formação de cidadãos que respeitam o próximo como ele é.

FONTE:  Prof.Rubens Gabriel Pereira
Diretor Canali System Brasil Personal Trainer Body Tech – Koatch – Renaissance Fitness
Árbitro de Ginástica Artística Masculina
Ex-Técnico de Ginástica Artística
Comentarista Esportivo – Rede Bandeirantes de televisão