Custos e qualidade nos serviços fisioterapêuticos

custos e qualidade

Durante a formação acadêmica  dos fisioterapeutas são ensinadas inúmeras formas de cuidar das pessoas. Por quase 5 anos, os acadêmicos recebem instruções sobre recursos, métodos e orientações relacionados às disfunções comuns aos pacientes que necessitam dos serviços fisioterapêuticos. Ao graduarem-se, tais profissionais podem passar por uma situação que, muitas vezes, apresenta-se de forma desagradável, a formulação do preço de seus serviços sem que isso venha comprometer a qualidade do mesmo. Essa disciplina não é mostrada nos bancos acadêmicos.

Uma situação, bem comum, é quando o acadêmico realiza um estágio irregular achando que vai ser empregado e logo quando cola grau, é simplesmente substituído. Outra é quando esse recebe a seguinte orientação: “você tem que atender tantas pessoas por dia”. Nas empresas menores, em que existe a necessidade do profissional, mas essa não pode arcar com um custo fixo do piso salarial , o fisioterapêuta tem a liberdade nos atendimentos, mas sua remuneração inicialmente é baixa, já que tal profissional “não tem clientes”. Por essas e outras razões, o profissional fisioterapêuta fica desnorteado , pois antes conhecia somente a realidade estudantil.

A qualidade pode e deve ser obrigatória em todos os serviços fisioterapêuticos, mas não podemos esquecer que temos um custo para consegui-la. Infelizmente, muitos profissionais acreditam, que a qualidade está relacionada somente aos atendimentos individuais ou então aqueles que “não são ensinados na faculdade”. O COFFITO, órgão máximo que nos regulamenta, desenvolveu um documento, intitulado Parâmetros Assistenciais, que pode ser um guia para caracterizar a rotina de nosso serviço.

O tempo de atendimento é sem dúvida um dos itens que deve ser mensurado quando o assunto é qualidade, e, esse, relaciona-se diretamente aos custos fixos da empresa ou do profissional que presta o serviço. Minha opinião é que sem o devido controle do tempo dos atendimentos essa relação fica totalmente desequilibrada. Não será interessante, financeiramente, permanecer com um cliente por um tempo que possa gerar prejuízo para o profissional ou instituição.

No mercado, na grande maioria das vezes, não conseguimos repetir os processos feitos nas faculdades, pois lá  recebemos conhecimento e nesse nós oferecemos o serviço. Os clientes, em sua maioria, podem querer utilizar os seus planos de saúde e dessa forma, o empresário ou profissional liberal deve repensar em como oferecer o mesmo serviço recebendo valores que, na grande maioria das situações, são incompatíveis com a realidade.

Luis Henrique Cintra

Fisioterapeuta Consultor

Aprecefisio inicia negociações com a Cafaz

20140127_144001

A APRECEFISIO(Associação dos Prestadores de Serviços de Fisioterapia do Estado do Ceará) esteve reunida no dia  28/01/2014 com a CAFAZ.  Em pauta, nossa associação apresentou:

– Guia de Contratualização da ANS(orientações gerais para a elaboração dos novos contratos) – acesse

– Rol de Procedimentos da ANS(todos os procedimentos que devem estar descritos nos contratos) – acesse

-RNPF(Referencial Nacional de Procedimentos Fisioterapêuticos) – documento elaborado pela Comissão Nacional de Honorários do COFFITO e que deve seguir de base para todas as negociações de valores. – acesse

Salientamos que boa parte dos procedimentos descritos em nosso Referencial está contemplada tanto na TUSS(Terminologia Unificada da Saúde Suplementar) como no Rol da ANS, contudo, esse,  descreve ítens obrigatórios que todas as operadoras devem oferecer. Um dos pontos mais importantes  da reunião foi a apresentação da CONSULTA FISIOTERAPÊUTICA, conquista essa, válida desde o dia 02/01/2014

Nem o Rol nem a TUSS descrevem valores, esses estão descritos em nosso Referencial(RNPF) e a aplicação de tais valores dependerá exclusivamente de nossa capacidade de UNIÃO.

VEJA OS PROCEDIMENTOS QUE ESTÃO E OS QUE NÃO ESTÃO NO ROL DA ANS

COD PROCE ESTÁ NO ROL DA ANS
50000063 Consulta individual domiciliar, em terapia ocupacional NÃO
50000098 Sessão individual domiciliar, em terapia ocupacional NÃO
50000110 Sessão de terapia ocupacional familiar NÃO
50000128 Sessão de terapia ocupacional em grupo NÃO
50000241 Consulta domiciliar em fisioterapia NÃO
50000250 Sessão para assistência fisioterapêutica domiciliar ao paciente com disfunção decorrente de lesão do sistema nervoso central e/ou periférico NÃO
50000268 Sessão para assistência fisioterapêutica domiciliar ao paciente com disfunção decorrente de alterações do sistema músculo-esquelético NÃO
50000276 Sessão para assistência fisioterapêutica domiciliar ao paciente com disfunção decorrente de alterações no sistema respiratório NÃO
50000284 Sessão para assistência fisioterapêutica domiciliar ao paciente com disfunção decorrente de alterações do sistema cardiovascular NÃO
50000292 Sessão para assistência fisioterapêutica domiciliar ao paciente com disfunção decorrente de queimaduras NÃO
50000306 Sessão para assistência fisioterapêutica domiciliar ao paciente com disfunção decorrente de alterações do sistema linfático e/ou vascular periférico NÃO
50000314 Sessão para assistência fisioterapêutica domiciliar no pré e pós cirúrgico e em recuperação de tecidos NÃO
50000322 Sessão para assistência fisioterapêutica domiciliar por alterações endocrino-metabólicas NÃO
50000330 Sessão para assistência fisioterapêutica domiciliar para alterações inflamatórias e ou degenerativas do aparelho genito-urinário e reprodutor NÃO
50000438 Hidroterapia NÃO
50000446 RPG NÃO
50000071 Consulta individual hospitalar, em terapia ocupacional SIM
50000080 Sessão individual ambulatorial, em terapia ocupacional SIM
50000101 Sessão individual hospitalar, em terapia ocupacional SIM
50000136 Sessão de terapia ocupacional para treinamento órteses, próteses e adaptações SIM
50000144 Consulta ambulatorial em fisioterapia SIM
50000152 Sessão para assistência fisioterapêutica ambulatorial ao paciente com disfunção decorrente de lesão do sistema nervoso central e/ou periférico SIM
50000152 Sessão para assistência fisioterapêutica ambulatorial ao paciente com disfunção decorrente de lesão do sistema nervoso central e/ou periférico SIM
50000160 Sessão para assistência fisioterapêutica ambulatorial ao paciente com disfunção decorrente de alterações do sistema músculo-esquelético SIM
50000160 Sessão para assistência fisioterapêutica ambulatorial ao paciente com disfunção decorrente de alterações do sistema músculo-esquelético SIM
50000160 Sessão para assistência fisioterapêutica ambulatorial ao paciente com disfunção decorrente de alterações do sistema músculo-esquelético SIM
50000179 Sessão para assistência fisioterapêutica ambulatorial ao paciente com disfunção decorrente de alterações no sistema respiratório SIM
50000187 Sessão para assistência fisioterapêutica ambulatorial ao paciente com disfunção decorrente de alterações do sistema cardiovascular SIM
50000195 Sessão para assistência fisioterapêutica ambulatorial ao paciente com disfunção decorrente de queimaduras SIM
50000209 Sessão para assistência fisioterapêutica ambulatorial ao paciente com disfunção decorrente de alterações do sistema linfático e/ou vascular periférico SIM
50000217 Sessão para assistência fisioterapêutica ambulatorial no pré e pós cirúrgico e em recuperação de tecidos SIM
50000225 Sessão para assistência fisioterapêutica ambulatorial por alterações endocrino-metabólicas SIM
50000233 Sessão para assistência fisioterapêutica ambulatorial para alterações inflamatórias e ou degenerativas do aparelho genito-urinário e reprodutor SIM
50000349 Consulta hospitalar em fisioterapia SIM
50000357 Sessão para assistência fisioterapêutica hospitalar ao paciente com disfunção decorrente de lesão do sistema nervoso central e/ou periférico SIM
50000357 Sessão para assistência fisioterapêutica hospitalar ao paciente com disfunção decorrente de lesão do sistema nervoso central e/ou periférico SIM
50000365 Sessão para assistência fisioterapêutica hospitalar ao paciente com disfunção decorrente de alterações do sistema músculo-esquelético SIM
50000365 Sessão para assistência fisioterapêutica hospitalar ao paciente com disfunção decorrente de alterações do sistema músculo-esquelético SIM
50000365 Sessão para assistência fisioterapêutica hospitalar ao paciente com disfunção decorrente de alterações do sistema músculo-esquelético SIM
50000373 Sessão para assistência fisioterapêutica hospitalar ao paciente com disfunção decorrente de alterações no sistema respiratório SIM
50000381 Sessão para assistência fisioterapêutica hospitalar ao paciente com disfunção decorrente de alterações do sistema cardiovascular SIM
50000390 Sessão para assistência fisioterapêutica hospitalar ao paciente com disfunção decorrente de queimaduras SIM
50000403 Sessão para assistência fisioterapêutica hospitalar ao paciente com disfunção decorrente de alterações do sistema linfático e/ou vascular periférico SIM
50000411 Sessão para assistência fisioterapêutica hospitalar no pré e pós cirúrgico e em recuperação de tecidos SIM
50000420 Sessão para assistência fisioterapêutica hospitalar por alterações endocrino-metabólicas SIM
50000454 Sessão para assistência fisioterapêutica hospitalar para alterações inflamatórias e ou degenerativas do aparelho genito-urinário e reprodutor SIM
20203020 Eletroestimulação do assoalho pélvico e/ou outra técnica de exercícios perineais SIM
31602185 Estimulação elétrica transcutânea SIM

Luis Henrique Cintra

Fisioterapeuta Consultor

A união de uma classe

unifisio_rs

Quando falamos em união de classe, pensamos diretamente em profissões mais antigas ou então nas que contam com grandes quantidades de trabalhadores e no mesmo local. Infelizmente a Fisioterapia não se encaixa em nenhuma das situações. Temos pouco mais de 40 anos de profissão regulamentada e ainda somos ensinados a trabalhar de forma independente. Em outros tempos, a união era forjada através de discussões em bares, e quando avançadas, com assembleias em associações e sindicatos. Atualmente, a mídia estimula a concorrência, por diversas vezes desleal, e as redes sociais facilitam a propagação desse estilo de vida. Para que possamos criar uma identidade de classe, é necessário que todos os profissionais estejam pensando e agindo da mesma forma, pois ao mostrarmos de forma positiva, que temos um foco, uma meta, temos também um destino. Sabemos onde queremos chegar.

É com essa visão que foi formada a UNIFISIO/RS. A UNIÃO DOS FISIOTERAPEUTAS DO RIO GRANDE DO SUL. Idealizamos uma profissão unida, coesa e, acima de tudo, ética. Estamos no caminho certo, mas ainda nos primeiros passos. Para darmos passos firmes, e certos que na direção correta, queremos contar com quem forma esse grande rizoma: os fisioterapeutas. Precisamos que nossos profissionais colaborem nesse processo de formação. A partir do momento que tivermos uma rede de profissionais atuando de forma integrada, buscando a melhora coletiva, o resultado individual aparecerá em um horizonte mais próximo e positivo. Assumi o desafio de tirar a união dos fisioterapeutas do diálogo para colocá-la em prática, porém pouco será feito com um grupo pequeno. Para isso, é preciso que nos familiarizemos com a ideia de atuar em conjunto com nossos próprios colegas de profissão. Só conseguiremos avançar com segurança e respeito quando tivermos uma base firme. A partir daí, poderemos conquistar nossos espaços de atuação que, até então, deixamos de ocupar, nos quais deveríamos estar desde a sua criação.

Como ainda trilhamos caminhos individualistas, desconhecemos o nosso verdadeiro potencial de grupo. E para que possamos melhor aproveitá-lo, faz-se necessário que, em primeiro lugar, nossos colegas saibam da existência dessa União. De seus objetivos e dos planos. Para isso, peço que comuniquem aos seus colegas sobre a UNIFISIO/RS. Vamos torná-la conhecida entre nós mesmos. Curta. Compartilhe essa idéia.

Filipe Langlois
Presidente da UNIFISIO

APRECEFISIO REALIZA REUNIÃO SOBRE CAMED

reunião

A Aprecefisio(Associação dos Prestadores de Serviços de Fisioterapia do Estado do Ceará) reuniu-se ontem, 17/01/2014, para discutir um problema que vem acontecendo com a Operadora CAMED desde setembro/2013.  Essa, de maneira tácita, tenta reduzir os já baixos honorários pagos aos Prestadores de Serviços Fisioterapêuticos.

Mesmo depois de garantir de forma documental para a APRECEFISIO que os valores não seriam alterados, a CAMED  persuadiu várias empresas a assinarem um novo contrato que fere, não apenas o lado financeiro, mas fragiliza o tão desejado processo de UNIÃO que a classe dos fisioterapeutas tanto deseja. O fato é que várias empresas que não aceitaram tais medidas receberam cartas informando o seu descredenciamento em relação a prestação dos serviços e isso está previsto , em sua maioria, para o final de janeiro/2014.

Na história das profissões isso é somente mais uma vírgula, o fato é tão corriqueiro que seja a ser ridículo. Toda classe, seja de trabalhadores, seja de empresários, somente tem força se permanecer unida.  Dessa forma é que conseguiremos atingir os frutos de todo movimento associativista. Na Fisioterapia, não nos adiantará nos “pseudoespecializarmos” se não mantivermos o espírito de união acesso.

Concluímos  nossa reunião em decisão unânime, dos presentes,  de não aceitarmos qualquer tipo de retaliação vinda da CAMED ou de qualquer outra OPS, o que deve acontecer nos próximos meses, pois desde dezembro/2013 que a PETROBRAS já está emitindo cartas intituladas  “TERMO DE ACORDO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS” e que já descreve valores completamente fora da realidade observada em nosso Referencial Nacional  de Procedimentos Fisioterapêuticos(COFFITO).

Luis Henrique Cintra

Fisioterapeuta Consultor

Conheça o RNHF – Referencial Nacional de Procedimentos Fisioterapêuticos

O Referencial Nacional de Honorários Fisioterapêuticos deve ser de base para que possamos estimar o valor dos procedimentos que realizamos diariamente, sejam esses em clínica, domicílio ou hospitais.

Sua linguagem é baseada na CIF(Código Internacional de Funcionalidade). Todas as OPS – Operadoras de Planos de Saúde serão obrigadas a adotarem a nossa nomenclatura, porém os valores somente serão implantados de acordo com a nossa capacidade de união.

Luisa Henrique Cintra

Fisioterapeuta Consultor