SIMPLES – Verifique se sua empresa foi aceita.

SIMPLES – Verifique se sua empresa foi aceita.

Simples_Fui_Aceito

Em 2014 aconteceu uma das maiores conquista para as Empresas Prestadoras de Serviços de Fisioterapia. Essas foram qualificadas no ANEXO III DO SIMPLES NACIONAL.

Agora, janeiro de 2015, era justamente o prazo para a migração das empresas que optaram pelo SIMPLES. Veio a ansiedade para a confirmação, pois esse é um serviço realizado por profissionais contabilistas, e não, por nós, Fisioterapeutas Empresários.

Preparei algumas orientações para que você, ASSINANTE DE NOSSO BLOG, possa conferir se sua empresa foi aceita no SIMPLES.

Certidao_Simples

1) Acesse o site: http://www8.receita.fazenda.gov.br/SIMPLESNACIONAL/

2) Escolha a aba SIMPLES SERVIÇOS/Consulta optantes

3) Abaixo de serviços disponíveis escolha “consulta optantes”

4) Digite o seu CNPJ e as letras à Esquerda

5) Veja a certidão

Certidao_simples_Fisio

Há uma outra forma, mas essa normalmente é feita pelo contador:

Certidao_Simples_2

1) Acesse o site: http://www8.receita.fazenda.gov.br/SIMPLESNACIONAL/

2) Escolha “Todos os serviços” no final da seleção

3) Abaixo de serviços disponíveis escolha “Acompanhamento da Formalização da Opção pelo Simples Nacional”

4) Clique em CPF/CNPJ na mesma linha. Para isso você precisará de um código que foi lhe dado no inicio do pedido de migração para o SIMPLES

Veja o termo de deferimento:

Termo de Deferimento

Veja a declaração de isenção que deve ser entregue a todas as empresas(operadoras etc) que se relacionam com a sua, porém algumas operadoras estão exigindo a declaração do contador, acima descrita:

Declaração_isenção

Baixe o arquivo:

Declaração Isenção Retenção – SIMPLES

 

Todo esse trabalho foi realizado pela contadora Dra.Kiara Pinheiro.

 

Luis Henrique Cintra
Consultor em Serviços de Saúde

 

 

FGTS, é melhor nunca atrasar e sempre provisionar.

FGTS

O FGTS(Fundo de Garantia por Tempo de Serviços) é uma “poupança” que o governo federal obriga o empregador a fazer para  seus funcionários com carteira assinada.

Os depósitos do FGTS devem ser efetuados mensalmente até o dia 7 (sete) do mês subsequente ao de sua competência. Quando o dia 7 não for dia útil, o recolhimento deverá ser antecipado. Por exemplo, em janeiro/2015 recolheremos o FGTS da folha de pagamento de dezembro/2012.  Esse corresponde a 8% de tudo que o trabalhador recebe como salário, férias, comissões, décimo terceiro salário etc.No caso de contrato de trabalho firmado nos termos da Lei n.º 11.180/05 (Contrato de Aprendizagem), o percentual é reduzido para 2% Esses valor, ao contrário da da GPS, não pode ser descontado do funcionário.

O funcionário pode saber se tal depósito está sendo feito a partir do extrato do FGTS,  recebido em casa a cada 2 meses. Se não estiver recebendo o extrato, o trabalhador deverá informar seu endereço completo em uma agência da CAIXA, pelo sítio da CAIXA, na internet ou, ainda, pelo 0800 726 01 01.

A demissão sem justa causa gera uma multa de 40% sobre o saldo do FGTS. Por isso, fica a dica, provisione, a conta poderá ficar alta.

O Fisioterapeuta Empresário poderá observar sua situação a partir do link: https://www.sifge.caixa.gov.br/Cidadao/Crf/FgeCfSCriteriosPesquisa.asp

Encargos das empresas por atraso no recolhimento do Fundo chegam a 5% no primeiro mês e depois dobram incidindo ainda alíquotas definidas pela CEF.

 

Luis Henrique Cintra

Fisioterapeuta Consultor

 

Maiores Informações:

http://www.caixa.gov.br/fgts/

http://odia.ig.com.br/portal/economia/fgts-quem-atrasa-paga-multa-1.532203

Contabilidade – O que são custos variáveis na pessoa física?

RECIBO1Ser Fisioterapeuta autônomo talvez seja uma das atividades mais comuns em nossa área. Como profissionais da saúde, exercemos uma atividade diretamente relacionada a um função do Estado. Isso nos põe em condições diferentes daquelas observadas noutros profissionais de outras áreas em relação à RECEITA FEDERAL, porém, é preciso conhecer alguns detalhes sobre a emissão de recibos, pois esses  caracterizarão os CUSTOS VARIÁVEIS DA PESSOA FÍSICA.

A emissão de recibos não precisa ser espontânea, mas nunca deve ser forçada. Talvez, pudéssemos, até, caracterizar como um diferencial na prestação de serviços. Contudo, o fisioterapeuta precisa está atento na precificação para que o  valor do imposto esteja embutido no valor cobrado ao cliente.

Você pode acessa em nossa bibliografia para gestores as alíquotas de imposto de renda  e realizar dessa forma uma programação tributária. Por exemplo:

Você poderá emitir até R$ 1.787,77 por mês sem pagar imposto de renda, se você emitir R$ 3000,00 mensais, você teria 15% de imposto de renda a recolher R$ 450,00,  mas poderia deduzir até R$ 335,03 . Ou seja, você pagaria somente R$ 114,97.

 

Veja também: http://economia.uol.com.br/ultnot/multi/2010/03/18/0402983366CCB95326.jhtm?contador-fala-sobre-a-parcela-a-deduzir-do-imposto-de-renda-0402983366CCB95326

 

Luis Henrique Cintra

 

 

 

Série Contabilidade – O que são custos variáveis na pessoa jurídica?

custos variaveis2

Podemos definir como custos variáveis aqueles que variam com o faturamento de um serviço de Fisioterapia, seja essa efetuado através de uma empresa ou então de uma pessoa física. Esses valores podem estar relacionados a a emissão, ou não, de recibos ou notas fiscais.
Quando uma empresa emite uma nota fiscal referente ao pagamento de seus serviços por uma OPS, por exemplo, ela  gerará impostos sobre esse pagamento. Em algumas operadoras temos parte desse desconto ainda na fonte, ou seja, no ato do pagamento. A grande maioria das empresas de Fisioterapia trabalham no REGIME TRIBUTÁRIO DE LUCRO PRESUMIDO, sendo tributadas da seguinte forma:
 
TRIBUTOS FEDERAIS
IRPJ:  4,8%
CSLL: 2,88%
PIS: 0,65%
COFINS: 3,00%
 
TRIBUTO MUNICIPAL(pode variar de acordo com a cidade)
ISS: 3,00%
 
Ao somarmos teremos então 14,33% de tributação sobre nossos serviços. Atualmente, nós Fisioterapeutas, temos uma proposta que já passou Câmara dos Deputados para a inclusão das empresas de Fisioterapia no SIMPLES. Caso tal lei seja sancionada ainda em 2014, as empresas poderão migrar para esse regime no começo de 2014 e serão tributadas de acordo com o seu faturamento. Até R$ 120.000,00(cento e vinte mil reais) esse será de 6%.
Caso a empresa tenha algum tipo de “produtividade” paga aos seus funcionários, essa também constitui um custo variável.
Supondo que a produtividade do profissional que o realizou seja de 30% o cálculo ficará:
 
FATURAMENTO FISCAL  MENSAL: R$ 12000,009LUCRO PRESUMIDO)
 
– Impostos pelo LUCRO PRESUMIDO: R$ 1719,6
– Produtividade: R$ 3084,12
O que sobra chamamos MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO já abordada em nossos posts.
 
Abraço a todos
 
Luis Henrique Cintra

 

 

Serie Contabilidade – A folha de pagamento

folhadepagamento

A folha de pagamento faz parte dos CUSTOS FIXOS de uma empresa de Fisioterapia como já discutido noutro post de nosso blog. Talvez, essa, seja um dos maiores custos de nossas empresas, pois,  nossa mão de obra é altamente especializada e  os valores pagos geram encargos que iremos discutir em detalhes.

Imaginemos que empreguemos um Fisioterapeuta um salário de R$ 1800,00, vejamos os custos:

 

SALÁRIO R$ 1.800,00
GPS R$ 482,4
FGTS R$ 144,00
V.TRANS R$ 82,72
13 SALÁRIO R$ 150,00
GPS R$ 40,20
FGTS R$ 12,00
FÉRIAS R$ 200,00
GPS R$ 53,60
FGTS R$ 16,00
TOTAL R$ 2.980,92

 

Esse seria o custo mensal de 1 Fisioterapeuta com salário de R$ 1800,00. Não podemos esquecer, que para nosso colega exercer seu trabalho, esse precisará de pessoal de apoio. Ao somar o salário de todos teremos então um custo aproximado de nossa folha de pagamento. Seguem alguns tributos que hoje nos massacram:

FGTS: 8% que incide sobre salário, férias e 13 salário.

GPS:  25,8% que incide sobre salário, férias e 13 salário.

A vinda do SIMPLES poderá desonerar nossa FOLHA DE PAGAMENTO em mais de 20% facilitando, dentre outras coisas, uma maior contratação ou regularização de profissionais. Não esqueçamos que no ANEXO III, onde fomos enquadrados, a CPP(Contribuição Patronal Previdenciária) reduz de 25,8% para 4%, contudo, não há interferência no cálculo do FGTS ou do vale transporte.

 

Luis Henrique Cintra

 

 

 

 

Novo sistema agiliza abertura de empresas

passo-a-passo-novo-processo

Após uma semana funcionando em regime de teste, a Junta Comercial do Ceará (Jucec) começa a receber hoje os pedidos de registros de empresas por meio da Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim). O novo sistema tem como principal objetivo simplificar os procedimentos e reduzir a burocracia, conforme determina a Lei Federal nº 11.598/2007.

Com apenas um único envio de documentos para a Junta Comercial, os processos para abertura, alteração e baixa de empresas serão realizados de forma integrada. A Redesim une Junta Comercial, Receita Federal, Secretaria da Fazenda (Sefaz), órgãos do Governo do Estado, Prefeitura Municipal e demais entidades necessárias no processo de abertura e legalização de empresas.

“Toda a documentação a ser entregue no órgão será emitida pelo sistema integrar da Redesim. As vantagens vão desde a diminuição de indeferimentos por divergências, pois o sistema acusa o não preenchimento dos dados necessários, à possibilidade da consulta de viabilidade de nome empresarial”, enumera Ricardo Lopes, Presidente da Junta cearense.

“Há mais de um ano o comitê nacional tem trabalhado em cada estado, para unificação dos processos necessários para licenciamento e outros serviços”, afirma Carlos Cruz, superintendente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-CE).

“Se antes o cidadão precisava visitar órgãos como Secretaria de Meio Ambiente e Corpo de Bombeiros, agora já não será mais necessário”, pontua. “O projeto é um grande avanço nos trabalhos do dia a dia” assegura Clara Germana Gonçalves Rocha, presidente do Conselho Regional de Contabilidade (CRC-CE).

Empresários e contadores terão de acessar o portal de serviços da Redesim, cujo acesso é feito exclusivamente pelo site www.jucec.ce.gov.br. Depois do preenchimento, o interessado deve imprimir a documentação e entregá-la na sede da Jucec ou nos 10 escritórios do órgão no interior.

http://www.opovo.com.br/app/opovo/economia/2014/02/25/noticiasjornaleconomia,3211905/novo-sistema-agiliza-abertura.shtml

Séria Contabilidade – O que é IRPJ?

Chamamos IRPJ (Imposto de Renda da Pessoa Jurídica) o imposto cobrado pelo governo  federal e que corresponde a 15% dos 32% do lucro presumido que o governo aplica sobre as Empresas de Fisioterapia. Isso dá 4,8% do faturamento obtido pela emissão das notas fiscais no mês.

Ele é trimestral, porém, às vezes, é cobrado, em parte, na fonte, quando no pagamento de algumas Operadoras de Planos de Saúde. Os meses de pagamento do IRPJ são: ABRIL (janeiro + fevereiro + março), JULHO (abril + maio + junho), OUTUBRO (julho + agosto + setembro) e JANEIRO (outubro + novembro + dezembro). Sugiro sempre que esse imposto seja pago mensalmente para que não gere acúmulo no período.

Até a próxima postagem,
Luis Henrique Cintra

Contabilidade – Faturamentos de uma clínica de Fisioterapia

5-faturamento

Numa clínica de Fisioterapia teremos dois tipos de faturamento: Faturamento Fiscal e Faturamento Real. O Faturamento fiscal é aquele obtido através da emissão de notas fiscais logo que recebamos um pagamento vindo de outra empresa, como, por exemplo, uma Operadora de Plano de Saúde.

Tal faturamento, gera impostos municipais e federais. Já o Faturamento Real engloba o Faturamento acima descrito mais o Faturamento proveniente de pacientes que pagam diretamente à clínica, a segunda parte desse faturamento não exige, necessariamente, uma nota fiscal pelo serviço realizado, o Fisioterapeuta poderá emitir um recibo e permanecer dentro da faixa de isenção do governo federal.

Um abraço,
Luis Henrique Cintra

Contabilidade – O que são os Custos Fixos?

Chamamos custos fixos aqueles que não se relacionam diretamente com a prestação de serviços fisioterapêuticos em si, ou então, contribuirão de maneira muito pequena para isso.

Utilizaremos esse conhecimento para calcularmos, por exemplo, quando gastamos por hora com o pagamento do aluguel. Imagine que esse seja de R$ 1200,00 e que seu consultório funciona por 20 dias úteis no mês e por 8 horas diárias. No final, veremos que você paga R$ 7,50 por cada hora de aluguel a cada mês, o mesmo acontecerá com os gastos com energia, telefone, água, luz e folha de pagamento, dentre outros.

Por isso, temos que ser altamente rigorosos com o tempo. Quanto menos disponíveis somos, mais caro, para nós, torna-se nossa hora.

Um abraço,
Luis Henrique Cintra

Contabilidade – Você sabe o que é lucro presumido?

BLOG_MODELO

O Governo Federal presume que cada empresa de Fisioterapia, quando qualificada como lucro presumido, tem 32% de lucro líquido. Isso significa que por cada procedimento que nós recebemos no valor de R$ 100,00, por exemplo, ainda sobre R$ 32,00 depois de pagarmos tudo, inclusive o nosso pró-labore. Isso ocorre principalmente com o pagamento dos convênios, pois todos exigem a nota fiscal pela prestação do serviço.

Há atualmente um luta por partes das entidades da Fisioterapia para a inclusão dessa prestação de serviço no SIMPLES.

Acesse o site do COFFITO