Aula sobre o Método Canvas

O Canvas é uma metodologia para se criar um MODELO DE NEGÓCIO. É um quadro de 9 partes em que utilizamos “post its” para respondermos: O QUE É, QUEM, COMO E  QUANTO. A grande vantagem é a flexibilidade do mesmo em relação às edições, tão comuns na descrição de qualquer negócio. Vamos usar esse canal para tirarmos tirarmos nossas dúvidas. Abraços a todos.

. http://youtu.be/Cjkq_jsuFTs

A conspiração do universo

 

Palestra Christus 2014

O ano de 2014 tem sido bem produtivo, novos projetos, algumas viagens e a cabeça fervilhando de ideias. Parece que após 20 anos como Fisioterapeuta Profissional estou recomeçando, a cada dia, a trilhar o caminho iniciado em 1989.

Certa vez, li num livro que quando queremos muito uma coisa, o universo conspira em nosso favor. Há mais ou menos 3 meses, Cintia Rocha, uma colega fisioterapeuta e professora da UNICHRISTUS, me convidou para palestrar nessa instituição. Escolhi o tema que mais me encanta, empreendedorismo na Fisioterapia. Ter a oportunidade de falar para esses alunos é bem mais que expor minhas filosofias, mas é voltar para casa, pois, mesmo não tendo estudado ou lecionado nessa instituição, o fiz no colégio do mesmo grupo. Enfim, me senti em casa. Principalmente pela recepção calorosa que tive dos professores: Romina Mourão, Saulo Barreto, Cintia Rocha e Sandra Macêdo.

Remodelei toda minha palestra. Na realidade, meu amigo Alison Marques, Jornalista e especialista em mídias sociais, preparou todo o novo layout dos slides. Fiz três backups, exportei para nuvem, desmarquei clientes e fui. No meio do caminho veio uma chuva que parecia não ter fim, atrasei-se  dez minutos, mas ainda estava dentro do prazo, antes, programado. Fui recebido e copiei a palestra para o micro que serviria como ponto de apoio. Faltando 5 minutos para o início, faltou energia. Professora Romina imediatamente procurou a manutenção do prédio e alertou que a falta de energia foi na região. Prontamente  respondi:

– Professora eu vim para falar, e eu vou falar!

Ela agradeceu, e, eu, já estava abrindo a palestra em meu celular e fazendo uma parte introdutória quando, então, a energia volta. Um riso coletivo surgiu, e os olhos dos alunos brilhavam mais que qualquer lâmpada ali funcionando. Falei por quase uma hora entre colocações pontuais e esclarecimentos de dúvidas daquele público “show de bola”.

Assim sigo meu caminho, pois enquanto o medo cria abismos que levam ao fracasso, a coragem cria pontes para a construção de nosso destino

 

Luis Henrique Cintra

Fisioterapeuta Consultor de Negócios

Esporte é saúde?

FONTE: Prof.Rubens Gabriel Pereira Diretor Canali System Brasil Personal Trainer Body Tech – Koatch – Renaissance Fitness Árbitro de Ginástica Artística Masculina Ex-Técnico de Ginástica Artística Comentarista Esportivo - Rede Bandeirantes de televisão

Prof.Rubens Pereira

Os profissionais da fisioterapia e educação física ouvem com muita frequência dos seus clientes e muitas vezes passam a idéia para eles de que o esporte é sinônimo de saúde.

Podemos usar o esporte como propaganda para atrair novos clientes mas com cuidado para não ensinar um conceito errado para as pessoas.

O que vemos na realidade são atletas sofrendo repetidas lesões, sendo flagrados pelo uso de esteróides anabolizantes, sofrendo com a obesidade quando encerram a carreira entre outros problemas e doenças.

O esporte como evento competitivo, onde os atletas buscam a vitória sem pensar nos meios que utilizam para alcançá-la, não pode ser relacionado à saúde.

Altas cargas de treinamento (tempo, sobrecarga nos exercícios, quantidade de exercícios, etc.) associados ao início precoce no treinamento de alto nível podem prejudicar o desenvolvimento físico e psicológico de crianças e adolescentes.

O uso de substâncias proibidas para aumentar o desempenho físico podem causar inúmeros problemas de saúde, entre eles o cancêr.

O alto grau de exigência física durante os anos de treinamento e competição além de aumentar o risco de lesões músculo esqueléticas, podem induzir o atleta ao sedentarismo ao encerrar a carreira e consequentemente trazer vários problemas de saúde.

Se vamos falar de saúde devemos relacioná-la com a atividade física. E dentro deste conceito podemos inserir a idéia máxima do esporte, a competição, mas com uma visão um pouco diferente, onde o indivíduo compete consigo mesmo e não com o outro.

Com isto em mente a atividade física passa a ser saudável, pois, o indivíduo busca melhorar sua condição física sempre com objetivos adequados à sua realidade.

Podemos e devemos usar modalidades esportivas para basear os exercícios usados nas sessões de treinamento físico, mas nunca associar o esporte de alto nível à saúde.

 

FONTE:  Prof.Rubens Gabriel Pereira
Diretor Canali System Brasil Personal Trainer Body Tech – Koatch – Renaissance Fitness
Árbitro de Ginástica Artística Masculina
Ex-Técnico de Ginástica Artística
Comentarista Esportivo – Rede Bandeirantes de televisão

 

O auditório vazio

auditoriovazio

Há alguns anos fui convidado para preferir uma palestra sobre resultados clínicos que tinha tido na aplicação de um certo método de tratamento postural. Após 5 anos de formado, seria a primeira vez que eu falaria para um grupo de pessoas que, até bem pouco tempo,  eu dividira espaço. Para mim, aquela seria a palestra que mudaria a minha vida na qualidade de Fisioterapeuta e orador.

Não me lembro bem qual era o evento, mas não importava, me preparei, cheguei cedo e  me dirigi à sala. Veio, então, a primeira constatação: fui colocado numa sala a parte do evento, escondida e com uma certa dificuldade de acesso. Dirigi-me até lá e daí a segunda constatação: havia 13 pessoas para assistir a palestra que eu tinha levado alguns anos para preparar. Sim, porque o trabalho para coleta de dados levou anos para se estabelecer. Eu disse a mim mesmo “Eu vim preparado, e vou falar”. Comecei a preparar os slides e iniciei.

Com dez minutos do primeiro slide o auditório foi começando a lotar, com 20 minutos foi necessário trazer mais cadeiras para os ouvintes, parei para acomodação, com 35 minutos havia pessoas sentadas no chão, e nos últimos 10 minutos de palestra, a porta de entrada foi fechada pois literalmente não cabia mais ninguém. Eu via pessoas do lado de fora que não podiam mais entrar. Onde, no início, menos de 15 pessoas se esparramavam pelo auditório, no final quase 400 se espremiam. Tal episódio se repetiu noutro evento, mas não dessa maneira.

Como já disse no inicio desse texto, “essa seria a palestra que iria mudar minha vida” e mudou. Desde então, que não temo mais a ausência ou lotação em minhas conferências, pois mais importante que audiência é que o(s) espectador(es) saia(m) de lá com alguma mensagem útil para sua(s) vida(s).

 

Luis  Henrique Cintra

Fisioterapeuta Consultor de Negócios

Erro 13 – Falta de clareza nos objetivos a longo prazo

14 -  objetivos

Quando montamos qualquer tipo de negócio devemos pensar quando e como estaremos daqui a um determinado tempo. A falta de planejamento a longo prazo nos torna perdidos num cotidiano de problemas que parecem não ter fim.

Traçar objetivos requer paciência e foco em todas as decisões necessárias para que cheguemos aos resultados planejados. Por isso, estipulamos metas que quando somadas nos conduzirão àquilo que desejamos obter de nosso negócio.

Nem todas as recompensas serão financeiras. Nosso trabalho como Fisioterapeutas gera compensação pessoal, social e de solidariedade com a população que atendemos.

Trabalhemos, portanto, focados para que os objetivos a longo prazo aconteçam quando menos se espera.

Sobral – Um dia inesquecível!!

20140404_081953

04 de abril de 2014, essa data nunca sairá de minha memória. A convite do eficientíssimo Centro Acadêmcio Ruy Galard da FACULDADE INTA tive o previlégio de falar para uma platéia de mais de 250 pessoas no auditório dessa instituição em Sobral.

Gestão e empreendedorismo foi a bola da vez. Dezenas de jovens, ávidos por informação, participaram, contribuiram e alegraram essa manhã,  não apenas com suas presenças,  e querendo desbravar caminhos que antes eram bem tortuosos em nossa realidade.

Palavras, frases e gestos de incentivo foram comuns na palestra “16 erros mais comuns na criação e expansão de serviços de Fisioterapia. Fica o meu muito obrigado a toda a coordenação, professores e alunos do INTA.

 

VALEU GENTE

 

O legado da copa do mundo – primeira parte

Prof.Rubens

Prof.Rubéns Pereira

O grande evento esportivo do mundo está chegando ao Brasil, a Copa do Mundo de futebol. Mas qual será o legado deste grande evento para trabalhadores da área da saúde e esporte como fisioterapeutas e profissionais da educação física?

Possibilidades de novos negócios relacionados ao futebol aumentaram neste período e aumentaram o número de vagas para os profissionais da educação física e fisioterapia. Muitos profissionais já estão colhendo frutos deste evento nos últimos anos. A procura nas escolinhas de futebol, por exemplo, chegou a dobrar em algumas cidades do Brasil e aumentou o faturamento dos profissionais da educação física.

Um estudo realizado durante os jogos olímpicos de Pequim em 2008 aponta o futebol como a modalidade com maior número de lesões entre as provas olímpicas.¹ Isto comprova a possibilidade de aumento na demanda por profissionais da fisioterapia, principalmente na área ortopédica.

Para o fisioterapeuta e o educador físico aproveitarem este momento para se estabelecer no mercado, é necessário aprofundar os conhecimentos na modalidade, conhecer todas as possibilidades de lesão e desenvolver juntos métodos de prevenção que possam ser inseridos no treinamento físico e técnico. Além disso, um acordo de parceria com clubes e escolas da modalidade que estejam próximos pode aumentar o fluxo de pacientes de uma clínica de fisioterapia.

 

Bibliografia 1- Sports Injuries During the Summer Olympic Games 2008. Am J Sports Med 2009 37: 2165 2- http://mais.uol.com.br/view/99at89ajv6h1/copa-do-mundo-aumenta-a-procura-por-escolinhas-de-futebol-04021C396ECC9133A6?types=A 3- http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2010/06/escolinhas-de-futebol-de-sp-tem-aumento-de-procura-durante-copa.html

FONTE:  Prof.Rubens Gabriel Pereira
Diretor Canali System Brasil Personal Trainer Body Tech – Koatch – Renaissance Fitness
Árbitro de Ginástica Artística Masculina
Ex-Técnico de Ginástica Artística
Comentarista Esportivo – Rede Bandeirantes de televisão

Rainha do Sertão, um forte abraço

FCRS

Ontem, 1 de abril, tive a oportunidade de conhecer e palestrar para um grupo de alunos muito especial. Com recepção calorosa do Centro Acadêmico do Curso de Fisioterapia da Faculdade Rainha do Sertão, representado por seu presidente João Paulo Alencar, proferi minhas idéias de gestão e empreendedorismo com a palestra “Dez conselhos para empreender em Fisioterapia”.
Após vinte anos literalmente vivendo minha profissão é sempre muito bom ver que ela cresce diariamente e em todos os aspectos.

Aos meus amigos acadêmicos deixo meu abraço e a esperança de encontrá-los, quando formados, exercendo suas profissões e fazendo o bem. Até lá convido-os a conhecer a Clínica Somma, espaço onde eu e minha esposa Lena construímos nossa realidade.

 

 

 

ERRO 13 – Falta de clareza na visão da empresa

visão2

Um dos ítens  do plano de negócio de uma empresa é a VISÃO. Qual a nossa perspectiva, aonde queremos chegar com todo o investimento financeiro, humano e de tempo? Nas empresas de serviços fisioterapêuticos acabamos, muitas vezes, apenas tocando um serviço. Embora desejemos alcançar objetivos financeiros, agimos apenas para  pagar contas e não prospectamos nosso futuro. É preciso que o gestor saia do meio da confusão e olhe o seu negócio de fora na tentativa de identificar os melhores rumos a seguir.

Há três formas de evitar um incêndio:

1) Nunca brincar com fogo,

2) Uso de  pás, machados e água

3) Observar para aonde o vento está soprando.

 

O Fisioterapeuta Empresário deve estar preparado para as três situações.