ERRO 12 – Ninguém sabe de nada, somente eu.

orgulho

O mundo dos negócios é altamente dinâmico, na fisioterapia a situação não é diferente. Novos métodos e recursos surgem todos os dias. Da mesma forma acontece com as ferramentas de gestão. Muitos gestores acabam, infelizmente, com o tempo, desenvolvendo uma surdez e cegueira funcional. Acreditam que como já faziam um trabalho bem feito não há porque melhorar. É bem comum isso na área tecnológica.

O orgulho faz com que muitos proprietários de serviços fisioterapêuticos neguem constantemente ações que são aceitas e praticadas no cotidiano. Preferem permanecer isolados,dentro de seus estabelecimentos, a buscar alternativas ou respostas reais para suas decisões equivocadas. Nunca ninguém é tão inteligente a ponto de não precisar aprender algo.

 

A sedução, a ilusão e a mentira.

Sedução_Ilusão_MentiraEra uma vez três amigas que viviam uma relação de amor e ódio , mas,  sempre encontravam-se  para conversar, e descobrir quem era a mais poderosa.
A SEDUÇÃO começou dizendo:
– Claro que sou eu a mais poderosa, sem mim os humanos nunca seriam fisgados, pois todos se derretem com a minha beleza, com minhas palavras e com o meu cheiro. Alías, sem mim, o mundo inteiro seria cinza. Sou eu quem dar sentido ao mundo!!
A ILUSÃO, se contorcendo de inveja, respondeu:
– Sim, mas você só chega à periferia dos desejos. Eu escravizo os humanos porque os faço viver em sonhos que nunca se realizarão. Eu sou inatingível, e isso é o que move a humanidade. Viver na ilusão
A MENTIRA, tava caladinha, mas, retrucou:
– É verdade, vocês duas são assim, mas, nunca esqueçam que por trás de TODO HOMEM SEDUZIDO E DE TODA MULHER ILUDIDA tem uma MENTIRA BEM CONTADA.

 

Luis Henrique Cintra

Sistemas de Gestão

image

Nesse final de semana, foi a vez de termos o previlégio de receber os ensinamentos de Prof.Galba, profundo conhecedor dos sistemas de gestão de saúde.
Professora Maria do Céu prontamente nos colocou com acesso aos sistemas on line da Unifor e da biblioteca.
A cada dia aprendemos a importância de nos aprofundarmos na história de nosso país e de entendermos que as ferramentas de gestão, políticas de saúde e visão empreendedora serão imprescindíveis para que consigamos não apenas ser eficientes, mas eficazes.

Publicado do WordPress para Android

Os 7 pecados

sete pecados

Quando alguém lhe disser que seus projetos não darão certo, escute, é importante. Nisso ela lhe mostra várias coisas como:
1) Preguiça, pois não teve disposição para realizá-los
2) Raiva, pois não teve inteligência para realizá-los
3) Inveja, pois não teve o carisma para realizá-los
4) Luxúria, pois não se concentrou para realizá-los
5) Avareza, pois não foi generosa para realizá-los.
6) Gula, pois não confraternizou para realizá-los
7) Cobiça, pois não quis dividir para realizá-los

Marketing pessoal.

rubem

Professor Rubens Pereira

Uma dificuldade muito grande que todos encontramos como fisioterapeutas e educadores físicos é a propaganda. Como fazê-la? As pessoas vão pensar que eu “me acho”? Não seria melhor se outra pessoa falasse de mim? Faço cartões de visita, propaganda em jornal, revista, televisão, rádio, internet??? Enquanto pensa em tudo isto as contas já chegaram e você ainda nem começou a trabalhar…

Algumas dicas muito simples:
• NINGUÉM pode falar com mais propriedade sobre você do que você mesmo.
• Seja SEMPRE sincero e honesto quando falar de você. Saiba falar de suas qualidades e defeitos.
• Faça o seu melhor trabalho com todos os seus clientes e a melhor propaganda será feita sozinha: o boca-a-boca. O trabalho bem feito faz com que as pessoas façam sua propaganda sem você pedir.
• Se fizer um cartão de visitas não faça o mais barato. A diferença de preço não vale a pena. Apesar disso não ser o principal item para atrair os seus clientes, é importante que seja um cartão bonito, simples e objetivo. Lembre-se: é um cartão e não um currículo.

A propaganda em mídias tradicionais como jornais, televisão, etc. pode gerar uma visibilidade muito grande e muitas vezes uma procura dos seus serviços superior a que você pode atender. Uma boa empresa é construida com bases sólidas e poder atender a todos os seus clientes com a mesma qualidade é imprescindível para manter o negócio funcionando. Invista primeiro na qualidade do atendimento e depois em propagandas em mídias de grande expressão.

FONTE: Prof.Rubens Gabriel Pereira
Diretor Canali System Brasil Personal Trainer Body Tech – Koatch – Renaissance Fitness
Árbitro de Ginástica Artística Masculina
Ex-Técnico de Ginástica Artística
Comentarista Esportivo – Rede Bandeirantes de televisão

ERRO 11- focar demasiadamente o volume de atendimento e porte da empresa ao invés do lucro

11 - fisioterapia-sus

Há uma confusão clara quando relacionamos  vendas de produtos com venda de serviços. É bem comum, no comércio de mercadorias, obtermos um desconto progressivo ao adquirirmos algo em volume. Essa estratégia é muito utilizada no relacionamento Operadoras de Plano de Saúde e prestadores de serviços fisioterapêuticos, muitas reconhecem que pagam pouco, mas, argumentam que vale a pena aceitarmos pois ganharemos no volume de atendimento.

Imagine que você chega numa loja para comprar um caderno, esse custa R$ 10,00(dez reais). Agora, você chega na mesma loja e deseja comprar mil cadernos, ou seja, você fará “uma compra de mil”. Nesse caso, é óbvio que o desconto será obrigatório. Agora imagine que mil pessoas foram naquele dia na loja comprar o mesmo caderno. Será que todas terão o mesmo desconto que você teve? Uma venda de mil unidades é diferente de mil vendas de uma unidade.

Vamos agora para os serviços fisioterapêuticos. Para atender inúmeras pessoas você precisará cada vez mais de uma estrutura maior. Essa ,vai levando a um custo fixo também maior. Quebra de equipamentos, desperdícios, difícil higienização e complexos sistemas de autorização e pagamento/glosas acompanham esse “grande fluxo” que paga pouco pelos atendimentos, e como o investimento é sempre maior em estrutura, a OPS ainda poderá, depois de toda a sua “imobilização de capital”, guiar seus clientes para outro serviço desde que esse cobre menos.  Lembre-se sempre que você estará comercializando “tempo”. Tal produto não está no estoque, não se repõe, no máximo se otimiza.

Entender o custo para a realização de 1 atendimento poderá ser a chave dos fisioterapeutas empresários que tomarão a decisão de atender no volume ou buscar a lucratividade em seu trabalho.

O que é empreendedorismo?

Gilmar

Prof.Gilmar Barros

A sabedoria popular há muito tempo descobriu que, diferente do dicionário, o sucesso só vem depois do trabalho, ou seja, acredita-se que só com muito trabalho e esforço um indivíduo ou empresa podem estabelecer um status de reconhecimento financeiro e social denominado sucesso. Porém isso é só uma meia verdade ou uma verdade não dita em plenitude, já que nem sempre muito trabalho e esforço se refletem em sucesso.
Na verdade, a definição de sucesso ainda é um campo de debate entre os intelectuais, no entanto, nós preferimos utilizar a definição de status social adquirido, ou seja, quando depende do esforço pessoal para sua obtenção, obedecendo a uma perspectiva liberal-meritocrática onde habilidades, conhecimento e capacidade pessoal utilizadas a partir um objetivo (foco a ser alcançado) faz o indivíduo vencedor frente a outros que empreendem esforços no mesmo campo de atuação.
Note que no parágrafo anterior temos duas palavras novas que nos chamam atenção, a primeira foco, e a segunda empreender. Foco diz respeito a objetivo, a fronteira a ser vencida, ou como diz o brilhante professor Robert Cialdine autor do Livro Influence: The Psychology of Persuasion, foco é sair do estado vegetativo onde o sujeito é apenas um agente passivo para um estado onde o sujeito é um ser ativo que programa seu destino pessoal estabelecendo metas a serem vencidas no decorrer do desenvolvimento do trabalho. A segunda palavra é empreender, deixando de lado cientificismo, é buscar tornar real uma ideia. Daí, temos atualmente, até porque o mundo ainda encontra-se em uma crise econômica mundial desde meados de 2010, ou como dizem alguns autores, desde 2008 já tivemos várias e crises e outras podem nos sobrevir, o foco hoje mais discutido nos meios acadêmicos de administração e também nas diversas esferas sociais derivam da palavra empreender, empreendedorismo e empreendedor.
Mas o que é empreendedorismo? Quem é o empreendedor?
De acordo com Dodabela (1999,p.43) Empreendedorismo é um neologismo derivado da livre tradução da palavra ‘entepreneurship” e utilizado para designar os estudos relativos ao empreendedor, seu perfil, suas origens, seu sistema de atividades, seu universo de atuação, sendo pois, um estudo voltado ao desenvolvimento de conhecimentos e habilidade voltadas a realização de algo pré-idealizado, tais como projetos no campo técnico, científico ou empresarial.
Conquanto, o Empreendedor segundo Shumperter apud Dornelas (2001, p.37) citado por Cecconollo e Ajzental (2008, p.2) é aquele que destrói a ordem econômica existente pela introdução de novos produtos e serviços, pela criação de novas formas de organização ou pela exploração de novos recursos materiais.
Mas o que tudo isso tem de relação com a Fisioterapia?
A Fisioterapia é considerada a ciência da saúde que estuda e trata através de meios físicos os distúrbios do movimento humano. Certo? Errado. Alguns de nós fisioterapeutas encontraram nessa definição um limite, e começaram a empreender esforços no tratamento de pets (animais de estimação) e até cavalos de competição. Isso, portanto é um exemplo de empreendedorismo, que num sentido mais amplo, pode e deve ser considerada inovação.
Outro exemplo de empreendedorismo, no campo da fisioterapia, foi quando os primeiros fisioterapeutas, e tenho orgulho de ter sido um dos primeiros ainda no ano 2000 na cidade de Quixadá, onde resido atualmente, saíram das Clínicas de Reabilitação e passaram a atuar junto as equipes da Estratégia Saúde da Família e mais tarde até assumindo cargos de Gestão em Saúde Pública até como Secretários Municipais de Saúde adquirindo e desenvolvendo conhecimentos e habilidades em promoção e proteção à saúde das populações.
Por fim, nas últimas duas décadas deixamos de ser somente profissionais liberais e funcionários de clínicas médicas, e passamos a ter nossos próprios serviços, idealizamos novas formas de atender e adquirimos conhecimento bastante para empreendermos autonomia profissional e reconhecimento social. Mesmo assim, saímos dos cursos de graduação ainda muito frágeis e às vezes ansiosos idealizando projetos de clínicas de fisioterapia e até mesmo policlínicas sem ter-nos solo em baixo dos pés (conhecimentos e habilidades específicas de gerenciamento) resultando numa multidão de estabelecimentos que fecham as portas. Este artigo chama atenção aos profissionais fisioterapeutas empresários ao trabalho com foco, planejamento e estratégia de resultados, temas que poderemos abordar mais tardiamente. Obrigado!

Professor Gilmar de Oliveira Barros Silva
Bacharel em Fisioterapia – UNIFOR
Especialista em Gestão e Sistemas de Serviços de Saúde – UEPA
Mestre em Saúde Coletiva – UNIFOR
CEO das Clínicas Gilmar Barros

ERRO 10: Aceitar que não é possível, ao invés de buscar solução.

perseverança

Fisioterapeuta faz com as mãos o que o cérebro duvida e o coração anseia. Tratar, aliviar dor, reabilitar ou devolver uma função para alguém é ato rotineiro para esse profissional. Seria ótimo que tal característica  fosse desenvolvida no momento que tal  profissional passa a ser o dono de seu estabelecimento. Não serão mais músculos a recuperar ou funções a devolver,agora, são metas, objetivos, sistematização nos processos e  tentativas intermináveis de readaptação no mercado. Porém, tudo será realmente bem mais difícil quando  não há preparação para o enfrentamento. Habituar-se a trabalhar com estratégia é sempre uma boa dica, evitar apagar incêndios o tempo inteiro, mas, sempre apto a fazê-los. Caso algum projeto desejado já tenha sido tentado por outras pessoas, procurar saber o que aconteceu? Nem sempre os problemas são financeiros. Verificar sempre se o problema não está consigo, ouvir clientes, antecipar seus desejos.

Não podemos, contudo, desejar ser heróis somente por pura vaidade. Se você não conseguiu, após muitas análises e tentativas,  é melhor aceitar a derrota na batalha e partir para a próxima. Às vezes, precisamos dar um passo para trás para depois pularmos.

Ética sempre!

etica

Passeando pelas redes sociais vi o depoimento apaixonado de uma colega Fisioterapeuta, Isabelle Fernandes. Após trocarmos algumas informações, resolvi publicá-lo. Atitudes como a dessa colega devem servir de modelo para a valorização de nossa profissão.

…..

Venho aqui nos grupos manifestar um pouco de minha indignação com relação à nós, profissionais de Fisioterapia. Quando formos nos referir à nossa profissão falem com respeito. Ao seu lado pode estar um Fisioterapeuta que a cada dia troca suor por sangue e tenta mudar. Sejamos Éticos, como os médicos, os dentistas, veterinários, dentre outros. Vou descrever o que me ocorreu ontem. Estou cursando MBA em Gestão e em minha turma estão diversos profissionais da área da saúde. Ontem, saindo da aula, estávamos conversando em um grupo de 7 pessoas quando um dos profissionais que estavam entre nós perguntou para a Doutora ao meu lado qual era formação dela dentro da saúde. Ouvi a seguinte resposta: ” – ah, minha profissão É DE BAIXA, sou Fisioterapeuta.”, sinalizando com o polegar para baixo. Aquela afirmação me revoltou de tal forma que começamos ali mesmo uma discussão fervorosa. Ela colocou o lado dela diante da Fisioterapia negativamente, e eu positivamente bastante feliz com a profissão. Não entendo porque nossa classe reclama tanto! Trabalha com plano de saúde e ganha pouco? Saaai então, caramba! Vai a luta! Abre seu consultório, muda de profissão, abre uma barraca de sorvete na praia, vai ser feliz e para de falar mal. Nosso sucesso depende de nossa força de vontade, empenho, de estratégias, mão-de-obra qualificada, muito estudo e anos de prática, além de outras questões que devem ser levadas em consideração. Pois bem, meus caros, profissionais assim não podem estar entre nós. E não podemos deixar que eles continuem a falar essas coisas todos os dias, minando e diminuindo quem está trabalhando árduamente e luta dia após dia para ver o sucesso de nossa profissão. Estamos em um momento muito bom, crescendo cada dia. FISIOTERAPEUTAS estão ocupando cargos de Gestão em Saúde (até então exclusivamente dos médicos). Nesse momento, devemos repreender esse tipo de postura de nossos colegas de profissão. Por exemplo, está insatisfeito com o posicionamento do Sindicato? Levanta e vai lá com posicionamento para mudar, melhorar e agir. Candidate-se para algum cargo. Pensem antes de falar diante de outros profissionais de saúde, vamos falar bem de nossa profissão. Devemos ser positivistas. Viva a Fisioterapia!

Fonte: Isabelle Fernandes de Macedo

Ateliê da Saúde.

Local da publicação: Facebook