Fisioterapeuta – Garanta sua vaga no mercado

Vaga no mercado

Não é novidade que a Fisioterapia, nossa profissão, é jovem. Porém, devido ao dinamismo da categoria,  faculdades,  especializações residências, congressos, entidades, cursos e negócios na área surgiram nos últimos anos. Enfim,nos tornamos úteis para milhões de pessoas no mundo, mas, parece-me que ainda falta o Fisioterapeuta entender isso.

Pelas palestras e eventos, que organizo e participo, vejo jovens, ávidos por conhecimentos, sejam técnicos, sejam de vida, lotarem os auditórios na busca de uma tão sonhada autonomia, que, infelizmente, muitas vezes é cerceada pelo mercado.

Nada adiantará, aqui nesse momento, discorrer sobre a realidade junto as OPS(Operadoras de Planos de Saúde), entidades que nunca respeitaram nossa palavra e que gastam menos de 1% de seu faturamento no pagamento de nossos honorários. Um dia, e por isso lutar, o Fisioterapeuta entenderá que tais entidades somente existem, de direito, se ofertarem nossos serviços. O custo para essas é tão baixo que é preferível contratar empresas prestadoras de serviços que verticalizar o serviço(ter uma equipe própria) dentro de seus estabelecimentos.

Em esferas superiores ganhos fantásticos já foram garantidos. Estaremos no SIMPLES em 2015, tivemos nossos direitos assegurados com o veto parcial sobre o ATO MÉDICO, estamos na ANS e a cada dia temos mais mestres e doutores em Fisioterapia. Nos resta, contudo, o espírito corporativista, a visão empreendedora, a VONTADE DE SER AUTÔNOMO e NÃO EMPREGADO, ai sim teremos o que merecemos.

O acadêmico de Fisioterapia ou aquele que está iniciando suas atividades precisa entender que o que irá garantir sua vaga no mercado NÃO SERÁ O SEU CONHECIMENTO TÉCNICO, mas a CAPACIDADE DE ASSUMIR E HONRAR COMPROMISSOS.

 

Luis Henrique Cintra

Fisioterapeuta Consultor

Sobre nós mesmos.

Leandro Leão Fisioterapeuta BA

Dr.Leandro Leão
Fisioterapeuta BA

Sentimos bem como é difícil ser Fisioterapeuta, quando nos permitimos a cada dia não falar em gestão, não debater nossos problemas e o pior de tudo é nos permitir a brutalização pela falta de conhecimento. Logo, os sintomas de falência da profissão são evidentes quando culpamos todos e não fazemos nada além de apenas reclamar e quando a grama do vizinho é mais verde e mais bem cuidada que a minha. Acordemos colegas e sinceramente deixemos de discutir assuntos bobos e vãos que não produzirão nada e nunca nos levará a nada. Nos falta capacitação e politização ao passo que nos sobra preguiça mental e uma vontade louca de buscar um culpado pela nossa inércia e nossa morosidade com nós mesmo. Uma vez disse que somos mofinos e continuo a acreditar ainda mais que agimos conforme a nossa fome e não de acordo com uma estratégia unida, bem planejada e com a participação de todos. Posso até estar enganado, mas o Fisioterapeuta é um mestre em espalitar os dentes de barriga vazia. Reclama de mais e pensa de menos. Culpa o Conselho, Sindicato, Operadoras, Patrões,, Deus e até o paciente , todavia não se volta para o epicentro dos problemas que é a postura relapsa e indolente com seus direitos.

 

Leandro Leão

Presidente da Associação Baiana de

Prestadores de Serviços Fisioterapêuticos

 

SIMPLES – Verifique se sua empresa foi aceita.

SIMPLES – Verifique se sua empresa foi aceita.

Simples_Fui_Aceito

Em 2014 aconteceu uma das maiores conquista para as Empresas Prestadoras de Serviços de Fisioterapia. Essas foram qualificadas no ANEXO III DO SIMPLES NACIONAL.

Agora, janeiro de 2015, era justamente o prazo para a migração das empresas que optaram pelo SIMPLES. Veio a ansiedade para a confirmação, pois esse é um serviço realizado por profissionais contabilistas, e não, por nós, Fisioterapeutas Empresários.

Preparei algumas orientações para que você, ASSINANTE DE NOSSO BLOG, possa conferir se sua empresa foi aceita no SIMPLES.

Certidao_Simples

1) Acesse o site: http://www8.receita.fazenda.gov.br/SIMPLESNACIONAL/

2) Escolha a aba SIMPLES SERVIÇOS/Consulta optantes

3) Abaixo de serviços disponíveis escolha “consulta optantes”

4) Digite o seu CNPJ e as letras à Esquerda

5) Veja a certidão

Certidao_simples_Fisio

Há uma outra forma, mas essa normalmente é feita pelo contador:

Certidao_Simples_2

1) Acesse o site: http://www8.receita.fazenda.gov.br/SIMPLESNACIONAL/

2) Escolha “Todos os serviços” no final da seleção

3) Abaixo de serviços disponíveis escolha “Acompanhamento da Formalização da Opção pelo Simples Nacional”

4) Clique em CPF/CNPJ na mesma linha. Para isso você precisará de um código que foi lhe dado no inicio do pedido de migração para o SIMPLES

Veja o termo de deferimento:

Termo de Deferimento

Veja a declaração de isenção que deve ser entregue a todas as empresas(operadoras etc) que se relacionam com a sua, porém algumas operadoras estão exigindo a declaração do contador, acima descrita:

Declaração_isenção

Baixe o arquivo:

Declaração Isenção Retenção – SIMPLES

 

Todo esse trabalho foi realizado pela contadora Dra.Kiara Pinheiro.

 

Luis Henrique Cintra
Consultor em Serviços de Saúde

 

 

Vamos construir 2015

2015_Juntos

No livro “O símbolo perdido” de Dan Brown tive a oportunidade de ler “um pouco” sobre a Ciência Noética”(http://pt.wikipedia.org/wiki/No%C3%A9tica) e fiquei impressionado com o poder do pensamento positivo. Estamos nesse mundo, assim como todos os animais,  literalmente sobrevivendo pelo tempo que conseguirmos, e certamente nossa existência não será perpetuada por atribulações que nos pré-ocupam, tomando, assim, nosso precioso tempo.

Existe uma fábula que diz que os porcos-espinhos para sobreviverem no inverno, época de sua hibernação, ficam uns sobre os outros. Suportam a dor em detrimento da preservação da espécie.

Vamos trabalhar minha gente, vamos estudar, vamos produzir, vamos ser mais úteis e menos egoístas em 2014. Deus não nos deu a capacidade de prever o futuro mas, de tentar construí-lo, ou,  pelo menos, de influenciá-lo. O futuro, meus amigos, não pertence a Deus, ele é de nossa inteira responsabilidade.

FELIZ 2015

Luis Henrique Cintra

Fisioterapeuta Consultor

2014 de luta, 2015 de esperança…

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2014 deste blog.

Aqui está um resumo:

A sala de concertos em Sydney, Opera House tem lugar para 2.700 pessoas. Este blog foi visto por cerca de 55.000 vezes em Se fosse um show na Opera House, levaria cerca de 20 shows lotados para que muitas pessoas pudessem vê-lo.

Clique aqui para ver o relatório completo

Cooperativa de Terapeutas – Utopia ou necessidade?

Cooperativa de Terapeutas

As OPS(Operadoras de Planos de Saúde), hoje existentes no mercado, surgiram da necessidade do público em geral de ter alguém para assegurar-lhes os serviços de saúde. Por outro lado,  um grupo de profissionais, MÉDICOS espalhados por todo o BRASIL, resolveu  unir-se, sob forma de COOPERATIVAS, com o objetivo de prestar serviços de saúde. Dessa maneira esses profissionais criaram suas tabelas e eram contratados, ora pelo Estado, ora por empresas(hospitais, clínicas, ambulatórios etc) para o exercício de suas atividades. Daí, surgiram as primeiras TABELAS DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS que unificava boa parte das atividades feitas por tais colegas.

Como a visão de saúde extrapola a necessidade de somente colegas médicos, outros profissionais(enfermeiros, psicólogos, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais etc) foram englobados nessa prestação de serviços ao usuário. Contudo, esses foram classificados como “funcionários” das instituições de saúde privadas ou públicas, e não como prestadores de serviços. Dessa forma, o raciocínio sobre uma tabela de procedimentos não foi desenvolvido por muitos anos, pois o profissional TERAPEUTA recebia salário. Isso não significa que não houvesse tal tabela, mas que essa descrevia procedimentos que não eram “privativos da categoria”, pelo menos na prática. Na Fisioterapia, por exemplo, por anos os procedimentos eram fisiátricos. Enfim, NÓS, TERAPEUTAS, sempre fomos vistos, ou então nos comportamos,  como mão de obra para “arrumar” as coisas, e não como profissionais liberais que devemos receber pela complexidade dos procedimentos realizados. Até hoje, colegas Enfermeiros trabalham sob sistema de plantão e NUNCA PELOS PROCEDIMENTOS REALIZADOS.

Empresas  de Fisioterapia foram criadas mas isso só gerou novos problemas, pois essas não conseguiam remunerar seus Fisioterapeutas devido aos baixos honorários pagos pelas operadoras, sem contar com concorrência desleal frente a outras que contratam estagiários. Para fugir da baixa remuneração, as empresas de Fisioterapia começaram a oferecer serviços individuais ou, então, outros que, por enquanto, ainda não são cobertos pelas OPS.

Hoje, algumas das antigas cooperativas médicas, transformaram-se em imensas OPS, a UNIMED é um exemplo. Por não a UNITERA?

Venho então, lançar, ou talvez reforçar, aqui, a idéia de uma COOPERATIVA DE TERAPEUTAS. Essa seria formada por odos os profissionais que não sejam médicos, mas que na Classificação Brasileira de Ocupações trabalhem na saúde. Tal entidade seria A GRANDE PRESTADORA DE SERVIÇOS PARA AS OPS DE ATIVIDADES PRIVATIVAS DOS TERAPEUTAS. As negociações por melhores honorários seriam feitas entre tais entidades jurídicas. Como o tempo tal cooperativa poderia se estruturar cada vez mais e quem sabe oferecer, aos seus cooperados, ‘ESPAÇOS TERAPÊUTICOS’ para o exercício de cada atividade.

Vamos amadurecer a visão do cooperativismo amigos. 1 mais 1 sempre mais que 2, assim, teremos nossa AUTONOMIA PROFISSIONAL.

 

Luis Henrique Cintra

Fisioterapeuta Consultor